Natal

03:01:00





Foi dos melhores natais de sempre. É isso que posso dizer sobre o deste ano. “Família”, “Nostalgia” e “Amor” acho que são as palavras que melhor definem o que se passou nestes dois dias. Foi um Natal cheio de surpresas e de coisinhas boas. Foi o primeiro Natal que passei com o meu sobrinho e logo isso já me encheu coração todo. Mas não foi só isso, sou uma miúda cheia de amor pela família por mais que nem sempre o demonstre, e tê-la toda junta para mim já foi a melhor prenda de sempre!


A família

Vinte e cinco. Vinte e cinco foi o número de lugares à mesa. Tenho uma família grande. E ter um número menor que este custa-me. A verdade é que faltaram pessoas, de todas a que ainda me continua a custar é o lugar que foi deixado vazio pelo meu avô. A minha madrinha continua no Brasil, não marcou presença mas pelo menos fez video-chamada connosco assim como o meu primo Mário que não conseguiu vir de Inglaterra. Mas não faz mal, acreditem que tiveram bem presentes com tudo o que aconteceu durante a véspera e o dia de Natal.


Prendas e Surpresas

Bem, Natal não é Natal se eu e a minha irmã não nos chatearmos por breves instantes! Mas não fez diferença, nem dois minutos depois já estava tudo bem. Este ano só se abriu as prendas à meia-noite, nem menos um minuto! Primeiro os pequeninos, um a um para vermos a reacção de cada um. Soube tão bem.
Sou aquele tipo de pessoa que adora dar prendas a toda a gente, mas confesso que deu-me bastante gozo dar a do meu sobrinho, ele passou o resto da noite a brincar com o skate! Encheu-me o coração!
Depois dos miúdos, foi altura dos graúdos. Começamos pelas prendas do amigo secreto. Este ano resolvemos fazer uma nova brincadeira, comprávamos prendas à toa, numerávamos e tirávamos à sorte! Quando estava a numerá-las eu só disse “ironia do destino era se esta me calhasse a mim”, e não é que quando tirei o papelinho dentro do saco calhou-me o 19. Este era o número da garrafinha de vinho tinto do Douro que estava lá, e eu que não gosto nada de vinho tinto! (ironicamente falando claro) A família começou logo a rir e disse “tinha de ser, tinha de calhar à bêbada”, que imagem que tem minha!
Enquanto estavam a dar as prendas aos miúdos dei a minha à minha avó. Eu sabia que a ia fazer chorar e preferi que ela se sentisse à vontade para isso enquanto as atenções estavam do outro lado da sala. Dei à minha avó um fio com um coração. O coração abria-se e tinha a foto do meu avô de um lado e do outro do meu tio que morreu quando tinha seis anos atropelado por um camião! Custou-me vê-la chorar assim, sabia que ia chorar nunca pensei que fosse tanto! Mas pelo menos tenho a certeza que não lhe podia ter oferecido melhor coisa!
Quando já estava tudo entregue a minha prima Margarida resolveu colocar-nos a todos a chorar.  Fez um vídeo da família toda, com as fotografias, os vídeos, as recordações todas. Por isso é que disse que “Nostalgia” era uma das palavras-chave deste natal. Eu aguentei-me forte o vídeo quase todo até aparecer uma foto minha e do meu avô. Esqueçam, eu vi o vídeo três vezes e em todas elas chorei. Fico mesmo sensível e o meu avô será sempre um ponto fraco para mim, sempre mesmo.


As minhas prendas

Abri praticamente todas nos dias anteriores ao Natal. Os new balance verde seco que fui comprar com a minha mãe nem posso considerar bem prenda de Natal. A minha tia tilinha ofereceu-me uns new balance azuis e uns all star pretos. O meu padrinho deu-me uns cremes, a minha irmã um lenço daqueles, -como a minha avó diz - cobertores e a minha prima Margarida deu-me uns deeply rosa. A maior ironia foi ter comprado uns verde água para o meu irmão e quem ficou com eles fui eu, ela perdeu o talão de troca e serviram-me a mim. (eu ainda não consigo lidar com o facto de que o meu irmão já calça mais que eu e ele só tem 13 anos). De mim para mim, sim porque eu sou do tipo de pessoa que compra prendas para si própria, foi o bilhete do derby, umas calças brancas, um body aberto nas costas preto e uma saia de ganga. Para bem da minha alma a minha mãe deu-me o dinheiro para ir comprar o red pass!


O único aspeto que não gostei foi o meu primo ter ido embora logo a seguir ao jantar, ele é bipolar e teve um dos seus ataques e pronto! Não há muito a dizer sobre isso! De resto foi o habitual, conversas parvas, filmes, karaoke, gracinhas, danças, comer, beber, monopólio, twister e assim!

You Might Also Like

0 comentários